Ver programação
WhatsApp

12 9 9147.9469

São Jose dos Campos- SP
A história secreta de Basílio, o herói de 77, no Vale do Paraíba - Alternativa Fm

Esportes

26/04/2017 às 10h30 - Atualizada em 26/04/2017 às 16h28

A história secreta de Basílio, o herói de 77, no Vale do Paraíba

administrador
São Paulo - SP

Torcedor que pegou parte do placar da histórica final entre Corinthians e Ponte Preta entregou presente ao ídolo aqui na região

Marcos Eduardo Carvalho
São José dos Campos

Existem coisas que só acontecem no Vale do Paraíba. Basílio, o ídolo eterno da torcida corintiana por ter feito o gol do título da final do Campeonato Paulista de 1977, contra a Ponte Preta, nunca imaginou que um dia fosse ganhar um pedaço do placar daquele jogo como presente. Mas, foi isso o que aconteceu.

Em 1991, quando ele treinava o São José, a Águia do Vale foi fazer uma pré-temporada em São Bento do Sapucaí, na Serra da Mantiqueira. E, lá, ele conheceu um cidadão que lhe entregou inicialmente dois números (1 e 0) que haviam sido retirados do placar do estádio no Morumbi naquele histórico 13 de outubro. Na verdade, era o 'I' o 'O' que estava no nome 'Corinthians' no placar.

"A gente estava lá com o São José, quando chegou um cidadão falando que tinha os números do placar de 77. Eu perguntei se tinha como tirar uma foto e ele disse que não. Mas que iria me dar de presente, pois eu poderia guardar bem melhor", disse Basílio nesta terça-feira, ao OVALE, por telefone.

"Nós voltamos para São José dos Campos e eu trouxe aquele placar no ônibus. Só depois coloquei no meu carro", lembra aos riscos o 'Pé de Anjo' corintiano, que além de técnico da Águia do Vale também foi jogador do Taubaté, no Paulistão de 1983.

NOSTALGIA. No próximo domingo, Corinthians e Ponte Preta iniciam a decisão do Paulistão de 2017, exatamente 40 anos após as finais em que o Timão quebrou um tabu de 23 anos sem título. E Basílio, hoje com 68 anos, vê algumas coincidências com aquele tempo.

"No domingo, quando acabou o jogo (entre Corinthians e São Paulo), fiquei um tempo olhando para o campo. Depois de um tempo, caiu a ficha de que tudo aquilo vai se repetir, pois naquela oportunidade, a nossa classificação para a final também veio contra o São Paulo", relembra Basílio, que hoje administra o time de master do Timão e do departamento cultural do clube, além de trabalhar diariamente na Rádio Capital e ter um programa no canal fechado TVA.

ESTA MATÉRIA FOI VISTA 57 VEZES

Comentários

Veja também

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

© Copyright 2017 :: Todos os direitos reservados
contador grátis